segunda-feira, 14 de abril de 2014

Amor bipolar - Nem é amor, vai! -

                                                                                                         Angélica Cardoso


Todas as vezes em que precisei usar um porquê, ele foi minunciosamente estudado, para não fragmentar um sonho. Agora peraí, vamos lá você desistiu? Sim você desistiu, não aguentou a dificuldade de lutar, de olhar nos olhos, de me ver te encarando a cada palavrão que você dizia, não suportou o fato de abrir a porta eu estar deitada na sua cama, te esperando pra fazer sei lá oquê. Você desistiu quando viu que eu queria paixão de 4 dias e amor pra vida inteira, você desistiu quando se irritou e bateu a porta, só porque não conseguiu me esquecer. Tá bom confessa vai, eu não fui seu passatempo, não deu pra fazer como fazia com as outras, dessa vez você se apegou. Só pra saber, não adianta fugir e nem adianta fingir, seus olhos te traíram todas as vezes em que me negou amor. Embora conteste o meu amor, e acredite que eu só ame um personagem, eu te digo: é verdade, é daí? Não te dou mais explicações, eu nem tenho explicação; eu amo desesperadamente um louco bipolar que não existe... 
Apesar de ter achado a resposta dos porquês, eu não achei nada. Eu ainda tô procurando, eu procuro todo dia, e cada dia a resposta é diferente; ela depende de seu humor. Só sei que na segunda, eu sou a maior idiota do mundo e na quinta a mulher mais desejada. Nesses dias eu preciso não pensar em você, preciso manter a linha dura que eu venho fazendo, mentira eu penso sim o dia todo, eu sou uma babaca. Você quer dormir lá em casa? Ou podemos continuar a conversa aqui no chat? Você disse que o desejo não morre, pode sobreviver  a distância, a saudade, a lacuna, e as vezes eu acabo concordando, mas hoje eu não quero concordar. Meu desejo é de você, e não estou disposta a esperar, quero agora com urgência. Essa foi a semente que você plantou, e agora quer matar de tanta água. Para, eu não vou crescer no grito, vou me afogar, vou me acabar, mesmo sabendo que eu não te quero mais. Você diz que ama, e eu não sei mais falar disso, mas eu vou reaprender; vou nada, eu não quero. Eu quero ESQUECER que você aquece os meus pés, que me provoca calores que se igualam a estar à 1000 metros do sol, que ninguém coloca os meus cabelos atrás da orelha como você, só com a pontinha do dedo, só quero esquecer aquela frase que você fala bem baixinho no meu ouvido e pronto, já estão completas as preliminares. Mas você desistiu, ou não resistiu... 
 Esse texto é sobre mim, apesar de repetir inúmeras vezes a palavra você..  Chega. Hoje o analista me disse que sou bipolar, que os meus porquês tem respostas variadas.  Não acreditei em uma palavra do que ele disse. Mas sabe, ele tem toda razão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou recadinho.