sábado, 18 de maio de 2013

Juntos para sempre- Walcyr Carrasco


                                                      Juntos para sempre


A história e linda e bem escrita, um prato cheio pra quem acredita em vidas passadas; Uma breve explicação dos amores sem explicações que vivemos aqui... Quando se ama de verdade, o amor é capaz de sobreviver ao tempo, as barreiras e até a morte, e quando voltamos (ou reencarnamos) escolhemos a mesma pessoa para fazer parte de nossas vidas, seja como irmãos, filhos, amigos ou mesmo amores... Segue sinopse:

Alan é um advogado bem-sucedido de São Paulo e leva uma vida aparentemente perfeita: mora em uma cobertura luxuosa, namora uma mulher lindíssima e pode ter tudo o que quiser. Mas todas as noites é atormentado por um sonho que o leva a um amor de outra vida. Assiste à morte na fogueira de uma jovem. E nesse momento promete: “-Eu me amarei para sempre!”. Quando desperta o sonho fica em sua cabeça. Envolvido por esse mistério, Alan vive dias de angustia. Tudo muda quando ele viaja para uma cidade do interior e encontra uma moça semelhante à que aparece em seu sonho. A profunda emoção que sente ao vê-la confirma que é a mesma pessoa. Essa é a primeira de várias evidências de que nada acontece por acaso. Mas, para seu espanto, a moça foge aterrorizada ao deparar com ele. Agora Alan precisa descobrir quem é essa mulher e qual é a ligação entre eles. Para isso, terá que rever sua existência e descobrir que as coisas realmente importantes não podem ser compradas. Auxiliado pela Terapia de Vidas Passadas, ele se entregará a uma árdua jornada de autoconhecimento.


segunda-feira, 6 de maio de 2013


Melhor assim...
Pra que fingir se você já não tem amor
Se teus desejos já não me procuram mais
Se na verdade pra você eu já não sou...ninguém
De coração
Eu só queria que você fosse feliz
Que outra consiga te fazer o que eu não fiz
Que você tenha tudo aquilo que sonhou
Mais vai embora
Antes que a dor machuque mais meu coração
Antes que eu morra me humilhando de paixão
E me ajoelhe te emplorando pra ficar comigo
Não diz mais nada
A dor é minha, eu me aguento pode crer
Mesmo que eu tenha que chorar pra aprender
Como esquecer você...

sábado, 4 de maio de 2013

Viver: um lapso ou um espetáculo?




A vida não é esta linha reta, horizontal, plana e asfaltada. Existem curvas, ladeiras, pontes, rios. Fácil, é não se preparar para isso e pegar os atalhos. Somos merecedores do sol, da chuva e também da tempestade.

Pobre de nós se não tivéssemos um amor para se perder e outro perdido por ai. Infelizes, seríamos se não tivéssemos a oportunidade de aproveitar os calores do verão, os frios do inverno, o florescer da primavera e no outono, deixar cair todas as banalidades. E nem deveríamos reclamar dos momentos em que precisamos subir no palco da vida, sendo alvo de olhares e expectativas, porque este é o ensaio para aprender a viver.

Nada deveria ser ácido para nós. Nem as dores, as tristezas, nem o deserto da solidão. Nossa vontade deveria aumentar e tanto perdas, quanto ganhos não deveria passar impune. Experimentar é a ordem da vida. Afinal, nascemos para tumultuar este espaço e se a gente não tiver disposição para amarrotar e desamarrotar o coração, usar a fé, a aflição, e distrair-se com a razão, ficaremos fora do espetáculo e perdemos em definitivo a oportunidade de extrair todos os ingredientes para a nossa composição de “ser humano”. Isso não acontece como num passe de mágica, tampouco é fácil. Eu diria até que é preciso palavrões, reclamações, silêncio, determinação, apatia e vez ou outra a preguiça pode ser usada.

Fracassos majestosos, ganhos inesperados, rupturas, cacos, pedaços, subidas, descidas, vitórias e derrotas são as companhias que a vida nos oferece. Viver é fúria, é paixão, é avançar e recuar. Morrer em momentos e ressuscitar em outros é absolutamente estratégico para conseguir participar da vida. Essa é a inexplicável e colorida anarquia de viver.

Viver é colorido e também preto e branco.

É preciso sobreviver a tudo isso por teimosia, e de propósito viver.

Portanto, meu caro, bote fé, insista e viva!"